Natal e Natal

Como passaram o natal?
Aqui foi uma correria. Tudo começou quando voltamos da lua-de-mel.

Em menos de uma semana tive que me “desdobrar” para desfazer as malas, fazer os preparativos para a ceia de sábado e para atender às encomendas do “bolo da vovó Cecé”, que foi um sucesso total! Teve até gente que pegou a receita no site e fez em casa! E foi mais sucesso por lá também!

Bom, tem muitas coisas que gostaria de postar aqui, começando pela nossa viagem a Natal e Pipa/RN. Pode-se dizer que foi uma viagem gastronômica! 

Em primeiro lugar, o café da manhã do Nordestino é um verdadeiro almoço: Frutas, iogurtes, sucos, frios, pães, bolos, tapioca, ovos, aipim, carne e etc.
Comi uma torta de camarão no café da manhã da pousada em Natal que lembrei muito do tempero de vovó Teresa.
Aliás, a comida de natal, de uma forma geral, me lembrou muito a comida de voinha.
No primeiro dia em Pipa, jantamos num lugar super descolado, chamado TAPAS. Tapas, em espanhol, é petisco, snack, lanchinhos. 
Mas eles pegaram a idéia de “tapas” pela quantidade, e juntaram com gastronomia de verdade e saiu perfeito! Só o maridão que achou a quantidade pouca para a fome dele. Mas aí tivemos a oportunidade de experimentar mais um prato!
O cardápio foi:
Filé de peixe ao Curry; Arroz indiano (cozido com canela e enfeitado com castanhas, banana, manga, mamão e coco); camarão ao mel e gengibre e batata sauté.

No dia seguinte almoçamos uma peixada ao molho de camarão, divina! Tanto comemos que não conseguimos jantar a noite.
Aproveitamos ao máximo cada segundo em pipa, na pousada Céu e Mar maravilhosa, frente à praia! Super indico! Aquele mar perfeito e a cervejinha bem gelada!

Em Natal, jantamos num lugar chamado farofa d’água. Fabrício, um escondidinho de carne de sol, e eu um escondidinho de camarão.
Gente, escondidinho original é com aipim, tá certo? Aipim, macaxeira, ou mandioca para o pessoal do sudeste. Nunca convide um nordestino para comer um escondidinho de batata! Isso para nós é uma ”torta de batata”, tá? Desse restaurante, só não gostei da caipirinha, que fizeram com cachaça Pitú! Um restaurante que se preze tem que ter uma cachaça menos, digamos, danosa.... rs

Esqueci de comentar uma coisa curiosíssima! Tem uma rede de Fast food que chama Bebelu, e que além dos sanduíches tradicionais, faz sanduíche com carne de sol! E pode vir no pão normal, ou árabe! Achei o máximo. Eu peguei o trio de sanduba de carne de sol + refri+ aipim frito! Adorei! Devia ter uma filial dessa rede aqui no Rio!! #Ficaadica!
O melhor de tudo veio no final! No último dia, fomos afogar nosso calor na praia de natal à sombra de um coqueiro, e com uma gelada, gelada mesmo! Pedimos uma porção de camarão de 10 reais. Achamos que não viria quase nada... mas era muito camarão! Tão grande e gostoso que foram mais 2 porções iguais a essa.

Espero poder voltar logo a Natal e desfrutar das maravilhas de lá novamente! Adorei!

Bolo de Natal da Vovó Cecé

Neste natal resolvi fazer o bolo que minha avó fazia todo ano. Segundo minha tia, essa receita está na família há mais de 120 anos.
A verdade é que todos esperavam ansiosos pelo bolo na época do natal. E mais ainda, minha vó, que ficava toda feliz quando as pessoas pediam a receita.
Eu lembro de voinha preparando o material desde cedinho, tirando a manteiga e os ovos da geladeira. Ficava o dia todo rodeando a cozinha para tentar conseguir uma lambidinha da massa.... mas, depois de várias tentativas voltava desolada... 
Bom, o caso é que hoje resolvi fazer o famosíssimo bolo pela primeira vez.  vejam como saiu:



Confesso que mudei um pouco a receita original por um certo lapso.... quando terminei tudo, descobri uma xicara cheia de farinha de trigo na mesa.... "minha filha, o que cê tá fazendo aqui?? era para ter entrado na massa!!" mas, depois da besteira feita, vi que foi uma boa ideia diminuir um pouco a farinha. Mas aí tive que ficar controlado o fogo, para não deixar muito alto...
Mas no final... Nossa! ficou bom! A receita é maravilhosa!  
Para mim, a receita + amor + características familiares. Tudo isso junto e misturado é que vai dar o sabor ao bolo.




  
Como errei a quantidade da farinha de trigo, ele ficou mais fofinho, menos consistente. Mas saiu bom também!
 Boa sorte!!! 

Fruta da Paixão!

Para mim, maracujá é a fruta mais saborosa!
Lembro que praticamente chorei quando comi maracujá doce, depois de uns 4 anos no Nihon.
Morro de paixão pelo seu suco. Se estiver bem gelado e sem açúcar, é super refrescante.

Domingo passei no “hortifruti” e comprei uns maracujás enormes e bem pesados.
No mesmo dia, fiz brigadeiro com um deles.
Errei algo na receita, pois parece que talhou e com isso não consegui fazer as bolinhas.
Mas AMEI o sabor! É uma ótima opção, diferente do tradicional. Quando conseguir acertar, posto aqui.

Bom! Como ontem recebi um pessoal aqui em casa, usei os maracujás para fazer um bolo.
Experimentei a receita deliciosa de uma amiga, que utiliza toda a polpa. O crocante das sementes dá um toque especial, dando um ar mais sofisticado ao bolo simples.
Façam! A receita é super simples e prática, e o sabor agrada a todos!

Receita:
3 col. sopa de  manteiga
2 xic. de açúcar
3 gemas
1 xic. da polpa do maracujá (com semente mesmo)
½ copo de leite
3 xic. De farinha de trigo peneirada com
1 col. sopa de fermento biológico.
3 claras batidas em neve.

Gente, tudo na temperatura ambiente! Voinha sempre disse que esse é o segredo para o bolo não solar (além de não abrir o forno antes de, pelo menos, 25 minutos de forno).
Acenda o forno para pré aquecê-lo.
Bata bem a manteiga com o açúcar, até derreter o açúcar. Acrescente as gemas e bata até ficar um creme fofo.
Adicione a polpa e o leite, alternando com a farinha de trigo. Nessa fase, já não bata tanto. Principalmente se já adicionou o fermento.
Por último, adicione as claras em neve. Não bata. Somente misture levemente, mas de forma que a clara e a massa se tornem homogêneas.
Coloque numa assadeira untada e leve ao forno

Depois de 30 minutos cheque para ver a cor. No meu forno, em fogo médio, o bolo levou 45 minutos para estar pronto.

Ao desenformá-lo, fure todo o bolo e jogue a calda de maracujá por cima.

Calda:
Polpa de 1 maracujá (com semente)
½ copo de açúcar
3 col. de sopa de água.

Mexer no fogo até ferver e formar uma calda.


DICA: Para servir no verão!!

Deixe o bolo esfriar. Faça um chantilly coloque por cima do bolo e só então, a calda já fria. Leve à geladeira e sirva gelado.


NhAM!

Boa sorte!

GULOSEIMAS :)

Oi, pessoal!

Ontem estive um tanto issogashii (atarefada).

Tive prova (falei que eu faço faculdade e curso de inglês?), fui à costureira, ao shopping, à Mahikari e quando cheguei em casa já era pra lá de 22:30. Ou seja, não fiz nadinha para a janta. Comemos o “soborô” de ontem.
Mas tem uma coisa que gostaria de postar: O meu delicioso sorvete HÄAGEN DAZS.
Pois é, lembra que falei que fui ao shopping? Há dias que queria tomar o sorvete STRAWBERRY CHEESECAKE do Häagen Dazs, e ontem matei a vontade.


Fiquei a-p-a-i-x-o-n-a-d-a pelo strawberry cheesecake flavor quando estava no Japão e freqüentava a sorveteria Baskin Robins (hehehe... cliente n°1). 
Pra quem mora no Japão, fica a dica!

Dias atrás fiz um cheesecake em casa. Minha cunhada e duas amigas acabaram com ele....

Quem sabe um dia tento fazer um sorvete de strawberry cheeseckake caseiro.... ou, quem sabe, um sorvete de goiabada cheesecake, para “abrasileirar”...

Alguém tem uma receita???


Hummm… Deu água na boca!!!

Aipim é bom demais!!

O dilema da "dona da casa" é sempre: o que faço para a janta?
Estava querendo fazer um escondidinho há dias, mas não conseguia pegar o mercado aberto.
Hoje, saí correndo do trabalho e peguei a condução para minha casa. Parei no supermercado e falei "é hoje!". Logo depois, uma frustração: a mandioca do supermecado estava super velha.... Tudo bem... faço outra coisa. Fiquei na fila mais tempo do que na van de volta para casa.... No problem! Quando tô empolgada, nada derruba.
No meio do caminho encontrei uma banquinha que vende mandioca novinha... Ok, da proxima vez eu já sei... Comprei. 1kg a 3 reais. Na próxima banquinha tinha a 2 reais.... Ops... é sempre bom perguntar! e o senhor que atende é muito mais youki (radiante)...!!
Quando chego perto de casa, vejo um rapaz bonito vindo em minha direção: MOZINHO! veio me ajudar com as compras!
Colocamos a cerveja para gelar e eu parti para a cozinha.
Esta foi minha primeira receita que fiz para o blog. Com vocês, o delicioso escondidinho de carne de sol!!!




Escondidinho de Carne de Sol

1/2kg de carne de sol (essa eu não precisei dessalgar muito)
1/2 cebola
Cheiro verde (à gosto)
1kg de Aipim
2 col. de sopa de Manteiga
1 copo de leite
4 fatias de queijo mussarela

Coloquei o aipim na pressão com sal e deixei por uns 20 minutos, até que ficasse mole o suficiente para passar pelo esremedor de batatas. Ainda quente, misturei a manteiga e o leite morno, e coloquei no fogo, mexendo sempre. Não passou de 5min.
Numa frigideira coloquei a cebola em rodelas com um pouco de oleo fritei levemente. Coloquei a carne de sol e refoguei até que estivesse bem sequinha. Por fim, um pouquinho de cheiro verde. A carne de sol já é tempreada com sal. Não precisa de mais nada.
Numa tigela de vidro temperado, arrumei metade do pure de aipim, a carne de sol, e a 2a metade do pure. Coloquei as fatias de mussarela por cima e coloquei no forno pré aquecido. 
Foi só o tempo de dourar o queijo e já estava pronto.
Servi com arroz e paçoca.
E lógico, uma cervejinha para acompanhar....
Fabrício comeu a metado da tigela.... :)

Boa noite!

Hajimemashite, Yoroshiku!

Muito Prazer! Meu nome é Karina!
Fiz este blog já faz um tempo, mas logo depois começei a trabalhar e nunca consegui postar nada nele.
Na época quis um blog para postar meus docinhos, cupcakes, bolos, etc, que vira e mexe me aventuro a fazer e trocar ideias para ir me aperfeiçoando.
Aí, logo depois, arranjei um emprego, casei e aqui estou eu, com muitas ideias e pouco tempo.
Na verdade, resolvi retomar meu "projeto" do blog por que eu preciso de uma ajuda.... Sempre vejo mil receitas maravilhosas que adoraria fazer, receitas que me dão muito ânimo para cozinhar, chamar uns amigos em casa, fazer uma festinha...
Então resolvi experimentar cada receita e à medida, ir postando aqui para compartilhar com meus amigos e, lógico, receber ideias de receitas também.
Sou catarinense criada na Bahia e no mundo... Morei 3 anos em Sampa, 7 no Japão e moro há 3 no Rio de Janeiro. Sou recém-casada com um nordestino de Teresina e ainda não tenho filhos.
Toda essa mistura me deixa um pouco "confusa".... por isso, se notarem algo de estranho no meu português, gomen né... (me desculpem)
Adoraria que me acompanhassem nas receitas, e me dessem um feedback do sabor, texturas, aromas, etc.
 Obrigada! Gracias ! Arigato!